Há quem goste delas curtas, há quem as aprecie mais longas, mas para nós o tamanho não importa, uma história merece sempre ser contada.

quarta-feira, 25 de março de 2009

Um Estranho Caso de Amor - Desculpas

- Desculpa ter sido um traste Helena, tu não merecias ouvir nada daquilo que te disse.
Helena olha bem dentro dos olhos dele e sente que há ali qualquer coisa diferente, qualquer coisa que não estava lá antes dela ter batido com a porta.
- Há qualquer coisa que não me estás a contar Rodrigo? Lembras-te do que prometemos quando nos casámos? Mentiras nunca. Prefiro uma verdade dura a uma mentira piedosa.
Rodrigo engole em seco. Ao vê-la ali à sua frente com aquele olhar que o despe por dentro vacila.
- Fala Rodrigo eu sinto quando me estás a esconder alguma coisa.
- Porque é que não falamos do nosso filho? Quando é que soubeste, porque é que não me disseste que desconfiavas de alguma coisa?
- Soube hoje de manhã.
- Então porquê o silêncio?
- Disse-te agora, não disse?
Rodrigo passa uma mão sobre o rosto de Helena, ela faz exactamente o mesmo. É o sinal de tréguas deles.
Quer beijar Helena, mas sente o sabor de Diana na boca, sente-a ainda pelo corpo todo. Vai ter que a tirar da pele, por isso levanta-se e dirige-se para a casa de banho.
- Vou tomar um duche e depois conversamos com mais calma.
- Rodrigo? - O tom de voz dela diz quase tudo o que não tem força para dizer.
Rodrigo vira-se e encara-a.
- Ficaste contente com a notícia?
Rodrigo sorri, mas é o sorriso mais triste do mundo, um sorriso que encerra tanta dose de culpa como de felicidade.
- É claro que estou. É o teu sonho, não é?
- Pensei que também querias um filho.
- Se te faz feliz quero sim.
- É só isso?
- Por enquanto é tudo o que consigo dizer. Deixa-me tomar um banho, por favor, eu preciso de um minuto sózinho.
- Desculpa mas não vais tomar porra de banho nenhum. Olha para mim!
Rodrigo continua de costas viradas.
- Olha para mim! Estamos há 7 anos a tentar ter um filho. Fiz 5 longos tratamentos, fui picada, analisada, medida, fiz punções, fecundações, construí expectativas, desiludi-me. E quando desistimos de tentar acontece e tu reages assim?!!!
Rodrigo olha Helena, os olhos avermelhados e húmidos.
- Porque é que não consegues deixar-me em paz Helena? Porque é que tem que ser tudo ao teu nível de emoção?
- Não queres que me emocione? Pela última vez Rodrigo, o que é que tu tens?
Rodrigo entra na casa de banho e fecha a porta atrás de si, encostando-se a ela, como se largasse todo o peso que o consome. Consegue ouvir Helena chorar no quarto, mas dentro de si nada mais parece importar. O cheiro, a voz, o corpo de Diana estão em todo o lado como uma maldição que não o quer largar, que insiste em consumi-lo.
Rodrigo chora, chamando por si, chamando pela sua razão que parece perdida. Acaba por gritar como nunca havia gritado até então.
- Nããããããããooooo!!!!!
Helena irrompe casa de banho adentro e vê Rodrigo caído no chão, inanimado.

15 comentários:

Sílvia disse...

É oficial estou a ficar viciada =)

bjo***

Miguel C. disse...

Eh lá... parece que é preciso um enfermeiro para dar uma ajuda!!!
Acho que esta indisposição vem mesmo a calhar para o reatar das coisas entre Rodrigo e Helena.

Ana C. disse...

Sílvia este é um vício dos bons, não vás para os noveleiros anónimos por favor, continua connosco :)

Ana C. disse...

Miguel do que é que estás à espera? Mãos à obra!

Sílvia disse...

Claro que fico quero saber como é que isto vai acabar... Dá um treco ao rapaz tenho q saber o que foi lool

bjinho***

banita disse...

Eu também quero saber qual foi a coisinha má que lhe deu e saber como acaba esta história! Rodrigo e Helena ou Rodrigo e Diana? hummm...

Miguel C. disse...

Banita,e porque não Rodrigo e Diana e Helena??
Hmmmmmm... e daí, talvez não!!

(Mas que dava uma bela cena, lá isso dava!)

Ana C. disse...

Miguel não dês corda à banita que ela diz-te já que apoia a cena dos 3. Isto é um blog familar!!!!

Carla disse...

Então e o diagnóstico?

Ou será que o Rodrigo ainda não acordou do pesadelo? Se for o caso está perdoado, caso contrário venha o castigo ;)

Ana C. disse...

Carla, a seu tempo, a seu tempo...

L. disse...

Ai não posso!!! E fico assim?! Se fosse um livro só parava quando desvendasse tudo... Agora... agora... Oh Miguel rápido!!! Eu quero saber o resto!

É oficial, este vai passar a ser o primeiro blog da minha lista de visitas diárias! :D

banita disse...

Credo... qualquer dia sou conhecida como a maluca que adora descrições de sexo...
Gosto das descrições, mas para além de preferir vivê-lo, também sou muito sensível e gosto de histórias de amor (ainda) não consumido ou não descrito!
Mas lá que seria um desafio literário, seria! Verdade, Miguel?

Ana C. disse...

banita já não te livras do estigma. És uma TS
AH AH AH AH AH!!!!

Banita disse...

Não, TS, não! Já uma ninfo fiel... lol

AnaMoreira disse...

"Se te faz feliz, quero sim!" A frase mais forte e mais cruel de todo o texto...a ver o que deu ao rapaz e como correrá esta gravidez outrora tão desejada por ambos...