Há quem goste delas curtas, há quem as aprecie mais longas, mas para nós o tamanho não importa, uma história merece sempre ser contada.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

O Palpitar da Paixão: Netherfield, o duro.

Mr. Netherfield olhava Gina distantemente. O choro daquela mulher completamente nua não parecia despertar nele qualquer tipo de emoção. Nem comoção, nem angústia, nem excitação. Nada. Respirou fundo e voltou-lhe as costas, dirigindo-se à porta

-Descanse Gina.

Apertou a maçaneta da porta com as suas mãos ao mesmo tempo másculas mas bem tratadas quando Gina falou

-Thomas.

Netherfield largou a porta. Havia algo naquela voz que o impedia de sair. Ouvia Gina a falar enquanto sentia que ela se aproximava.

-Thomas... porque vais já embora? Aqui estou eu, só num quarto austero e frio, nua e carente... afinal quase morri num incêndio...

Gina entoava esta frase como um lamento mas Netherfield percebeu a provocação escondida.

-Menina Gina. Está a ultrapassar os limites. Vou esquecer isto considerando que ainda está sob alguma tensão...

-Oh sim, Thomas, imensa tensão!! E preciso mesmo de a descarregar...

Neste momento Gina encostava os seus seios voluptuosos ás costas largas e musculadas do patrão, enquanto o envolvia com os braços, as mãos percorrendo o peito e o abdómen sólidos e agora retesados. Puxou a camisa de Thomas para fora das calças e desabotoou-lha lentamente. Netherfield mantinha-se estático, olhando em frente, quase como se estivesse hipnotizado. A sua vontade era a de sair porta fora, mas sentia-se dominado pela voz daquela desconhecida. Estremeceu ao sentir os mamilos erectos e duros nas suas costas e sentiu um movimento ondulante na sua braguilha. Tentou combater a traição do seu corpo mas estava perdido. Gina beijava-o luxuriosamente o pescoço, lambia-lhe as costas. As suas mãos estavam por todo o seu corpo, evitando deliberadamente qualquer tipo de contacto com o fecho das suas calças, mantendo aprisionada toda a virilidade deste homem dominado. Gina brincava com ele, provocava-o. Mordia-o levemente apenas para sentir a pequena convulsão que isso lhe causava. Netherfield respirava agora rapidamente, mas de uma forma ritmada, controlada. Fazia um último esforço para não ceder. Gina finalmente desapertou-lhe o cinto e depois o fecho das calças. As suas mãos ficaram preenchidas com toda a masculinidade de Netherfiel. Gina sorriu e comentou

-Agora percebo a fama de homem forte, austero e... duro!

Thomas soltou-se! Voltou-se subitamente para Gina e assustou-se momentâneamente com o laivo de loucura que viu bailar no brilho dos seus olhos. Mas isso passou assim que Gina mergulhou a sua língua nos lábios dele. Como um animal com o cio, Thomas retribuiu o beijo quente e molhado mas, agarrando Gina pelos quadris, levantou-a como se de uma pena se tratasse e encostou-a violentamente à parede. Gina gemeu de um misto de dor e excitação. Afastou as pernas e mostrou-lhe o caminho para a recompensa por a ter salvo. Thomas envolveu-se entre as pernas de Gina e, agarrando firmemente o seu membro do prazer duro e hirto, penetrou Gina lentamente. Sentiu o seu calor a envolver todo o seu comprimento e a espalhar-se simultâneamente para as pernas e pelo peito. Aquela caverna húmida apertava-o e convidava-o a entrar mais dentro. A sua pélvis iniciou movimentos bamboleantes lentos no início. Gina estava deliciada. Lambia os lábios como se tivesse acabado de digerir uma iguaria rara. Arranhava-o nas costas descendo as suas mãos até ás nádegas contraídas de Netherfield. Cravou-lhas fundo naqueles glúteos definidos e suados e Thomas urrou de dor e prazer. A dor penetrou no seu corpo e transformou-se numa onda que aumentou o tamanho e a rigidez do lenho de Thomas. Aumentou o ritmo dos movimentos pélvicos e Gina gemia agora alto e ritmadamente. Thomas bufava como um touro a ser provocado na arena, pressentindo o fim e lutando para prolongar a sua estadia naquele paraíso quente e agora molhado. Sentia o íntimo de Gina a escorrer-lhe pelas pernas. Gina arqueou as costas e mordeu o lábio, sangrando. Apertou Thomas com as pernas puxando-o para o mais fundo dos seus lugares e gritou! Uma e outra vez. Estava descontrolada, o seu corpo tremia, arranhava a parede com os braços abertos. Estes movimentos descontrolados derrotaram Netherfield. Sentiu uma explosão com o epicentro no seu peito que percorreu todo a sua dureza e explodiu dentro de Gina, inundando-a com a sua seiva da vida. Desfaleceram ambos e caíram no chão.
Thomas levantou-se, de olhar duro e frio e subiu as calças. Sobressaltou-se com um ruído nas suas costas. Uma velha foto da família Netherfiel estava no chão, o vidro e a moldura estilhaçados. Thomas viu a face alegre da sua falecida esposa e sentiu-se culpado. Gina acordou do torpor que se acometeu dela e exclamou: Meu Deus, que fiz eu?. Thomas saiu, batendo com a porta deixando Gina entregue à sua incredulidade.
Num canto escuro do quarto um vulto etéreo sorria vitoriosamente enquanto desaparecia nas sombras.

14 comentários:

Ana C. disse...

De nós os quatro pode-se dizer que és o que escreve sexo. AH AH AH
Vou dar-te um conselho de amiga: Pensa num pseudónimo bem potente e dedica-te a substituires a falecida Corin Telhado. Aposto que há uma multidão de mulheres neste momento a desfalecerem :)

Nuvem disse...

podes crer... este sim... um verdadeiro capítulo à Corin Tellado...
mais um pouco e tinha de ir a correr ter com o S. pedir para me inundar com a sua seiva da vida!!!
Fico à espera da continuação - está a ficar difícil ;)

Miguel disse...

Ana, eu nunca li nada da Corin!! Quanto às mulheres a desfalecer: acontece com algumas depois de uma injecção!!

Miguel disse...

Nuvem, o teu comentário fez-me rir!! Estou a imaginar-te a correr e a dizer ao teu homem: Inunda-me com a tua seiva da vida já!!!"

Nuvem disse...

nem é preciso correr... já lhe liguei a dizer...
amor, esta noite quero ser inundada com a tua seiva da vida!!!
quero sentir esse teu membro másculo e viril a explodir dentro de mim até ficar inconsciente...
e ... ele deve estar a vir, porque desligou a chamada...
looool

Ana C. disse...

Miguel entendes o que disse? Olha a Nuvem, as mulheres pelam-se por este tipo de narrativa. TU TENS FUTURO!!!!!

Miguel disse...

Nuvem: AH,AH,AH,AH!! Tens muita piada!!!
Ana, voltei a ler o que escrevi e, simplesmente não acredito que escrevi aquilo!!! E a Córin deve estar às voltas no túmulo!!

Miguel disse...

Li outra vez e estou chocado...
Que monstro libertaste tu Ana?

Ana C. disse...

O monstro pornográfico que há em ti. AH AH AH AH AH AH AH AH AH
Espero que a Mariana ande a seguir atentamente esta novela, pois se ela for como a Nuvem...
Vou-te dar uma informação extra sobre a famosa e falecida Corin.
Sabes quem é o escritor/a mais vendido/a de todos os tempos?
Não, não é o Saramago, nem os Nobel da Literatura. É a senhora Corin ;)

Ana. disse...

Ai minha nossa, que toda eu sou fogo!! Isto está para lá de emocionante!

Ainda não tinha lido duas linhas e já sabia quem tinha escrito este capítulo!

Adoro a parte dos "movimentos bamboleantes"!! E ó Miguelito, tu tens uma fixação qualquer por glúteos rijos, hã!!

Permite-me só um pequenino reparo, só uma coisinha que me comicha: os advérbios de modo nunca têm acentuação - momentaneamente em vez de momentâneamente, tá?!

Kudos, ó mestre da pornochanchada!!

;)

Miguel disse...

Ana., sobre glúteos: é uma projecção daquilo que quero para mim!!!
Fiquei na dúvida acerca do acento circunflexo e fui enganado pelo cabrão do corrector ortográfico do blogger!! Mas sente-te à vontade para corrigir!!

Melissinha disse...

Eu tenho glúteos para troca.
Muitos glúteos, mesmo, muitos glúteos.
Agora vou ler.
(sim, faço tudo ao contrário.)

Nuvem disse...

Pois é Miguel... adoro o capítulo e já tinha até vários capítulos seguintes... um dia que aprenda a escrever como deve ser ;)
agora é só ver a continuação :)
vou dar ao meu F. para ver se ele se inspira ;)

Nuvem disse...

então???
E o Netherfield fica duro e não sai disso???
a continuação???
aiaiaiai que os fãs estão impacientes ;)